Mês: julho 2016

DOM PEDRO:OPOSIÇÃO DIVIDIDA ENTRE A CEGUEIRA E A DISPUTA DE EGOS

OPOSIÇÃO

UMA OPOSIÇÃO SEM POSIÇÃO

Nas eleições, chega uma hora em que todos os candidatos, menos um, tomam consciência que vão perder (ou que já perderam). Há casos em que a disputa permanece acirrada até a véspera e ninguém é obrigado a fazer essa difícil admissão. São mais numerosas, no entanto, as que logo se afunilam e se resolvem cedo.

Os políticos sempre entram nas eleições esperando ganhar, mesmo quando sabem que suas chances são mínimas. Existem os que participam apenas para defender posição, mas são raros. Também há os exibicionistas, cuja única intenção é usufruir o prazer de ver suas fotos nos cartazes. Esses não contam.

Depois que as campanhas começam, a expectativa de vitória costuma tornar-se certeza. Por menores que sejam, os candidatos vão se convencendo que suas possibilidades são grandes. Talvez porque convivam principalmente com seguidores apaixonados, talvez porque confundam a boa educação dos cidadãos para com eles, fantasiando que uma simples cordialidade traduza apoio. Mas é certo que, a alturas tantas, todos achem que vão ganhar.

Ao contrário do que se poderia imaginar, as pesquisas eleitorais não mudam sua opinião. Não é por estar lá atrás e haver outros mais bem situados que eles pensam com mais cautela. Todos têm vários exemplos para citar, de políticos que começaram mal nas pesquisas e terminaram ganhando.

A constatação de que uma derrota é iminente é especialmente complicada para os candidatos tradicionais, ainda mais se estiveram na liderança das pesquisas.

O que observamos na oposição em Dom Pedro, é uma disputa de interesses pessoais em detrimento do bem estar da nossa população.

A família Costa apresenta-se em profundo abastardamento, os irmãos Ribamar/Alexandre não podem disputar o pleito que aproxima-se em função de processos julgados de toda ordem.Tentam a qualquer custo emplacar Ricardo Bruno/Irene como tutelados no seu projeto pessoal de retorno ao executivo municipal.

Eduardo Costa por sua vez, postula candidatura nos dissidentes e revoltados com Ribamar Filho pelo apoio dado a Hernando Macedo em 2012.

Enéas Liarte e Dr Fabrício Abraão, apostam na 3ª via fomentada pelo advogado e esposo da deputada Valeria Macedo, Marco Aurélio Gonzaga.

Ao que tudo leva a crê, a oposição divide os revoltados com o atual prefeito, ao mesmo tempo que nutrem grandes possibilidades de reeleição do gestor.

Esta afirmação é simples e realista, Hernando Macedo como prefeito, é indiscutivelmente hoje possuidor de 35% dos votos, assim sendo, a divisão do saldo desta matemática entre os candidatos de oposição lhe garantem vitória.

Acredito ainda que esta cegueira politica da família Costa e da dita 3ª via possa cessar, visto que assim não sendo, o resultado desta disputa de egos e picuinhas irão concretizar mais 4 anos de um futuro com cara de passado.

Simples, porém catastrófico.