CAMPEÃO DO SEXO

Mirian Goldenberg é antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de “Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade” (Ed. Record). Escreve às terças, a cada 15 dias na versão impressa de “Equilíbrio”.

O brasileiro é o povo mais ativo sexualmente de todo o mundo.

O brasileiro faz sexo 145 vezes por ano: só perde para o grego, que faz 164 vezes por ano.

O brasileiro dedica mais tempo ao sexo do que quase todos os outros países. No Brasil, cada relação sexual dura, em média, 21 minutos. A média mundial é de 18 minutos. O Brasil só perde para a Nigéria, país onde o tempo médio da relação é de 24 minutos.

O Brasil, na América Latina, é o país em que homens e mulheres têm o maior número de parceiros sexuais ao longo da vida: uma média de 12, contra dez nos países da América Latina em geral.

O brasileiro é o povo mais infiel do mundo.

O brasileiro faz sexo, em média, três vezes por semana.

Frequentemente nos deparamos com pesquisas que mostram que o brasileiro é um verdadeiro campeão do sexo.

Esse quadro é bem diferente do que encontro nas minhas pesquisas.

Muitas mulheres que entrevistei reclamam de:

– dificuldade ou impossibilidade de atingir o orgasmo;

– necessidade de fingir o orgasmo para deixar o parceiro feliz;

– secura vaginal, dores com a penetração, perda da libido;

– incapacidade de seduzir e de agradar um homem;

– falta de desejo, falta de prazer, de intimidade, de experiência e de carinho;

– insegurança com o próprio corpo e com os próprios odores;

– vergonha das gorduras, das estrias, das celulites, dos peitos caídos e da bunda flácida;

– medo de falar sobre o que gosta na cama.

Apesar da fama de país tropical, onde supostamente viveriam mulheres e homens obcecados por sexo, o que tenho encontrado nas minhas pesquisas é uma enorme insatisfação sexual.

A representação do brasileiro como um povo campeão do sexo faz com que muitas pessoas se sintam distantes de uma performance idealizada em termos de qualidade e de quantidade.

A força dessa representação pode estar provocando uma grande frustração até mesmo em pessoas cuja vida sexual pode ser considerada bastante satisfatória.

O mito sobre o sexo campeão do mundo, quando comparado com a realidade da maior parte dos brasileiros, parece estar escondendo, ou até mesmo produzindo, a sensação de inadequação e também a de profunda miséria sexual.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s